Aldeias

Antiga Hospedaria

Linhares da Beira

Linhares da Beira

Esta albergaria, depois hospital da Misericórdia, é um marco importante para a compreensão das solidariedades medievas. Servia de apoio a pobres, peregrinos, doentes e a todos os que, de passagem ou vivendo nesta vila, necessitassem de abrigo e/ou tratamento. Sabe-se ainda que Sancho I, em testamento, contemplou esta albergaria com uma soma de 100 maravedis. Com a implantação da Misericórdia tornou-se no seu hospital, tendo a sua construção sofrido significativas e sucessivas remodelações. A albergaria/hospital é um edifício de dois pisos, que apresenta, no exterior, um portal em arco pleno, encimado por um nicho com uma imagem de Santo António. Nas extremidades, podem ainda hoje ver-se duas gárgulas, uma antropomórfica e outra zoomórfica, que a tradição local diz representarem o diabo e uma cabra. Daí nasceram várias lendas atribuídas a D. Lôpa, dita outrora proprietária desta casa que teria pacto com o diabo, fosse por influência de uma criada (similar ao que acontece na lenda da Dama do Pé de Cabra) ou por sua própria iniciativa, sendo salva dessa submissão maléfica por intercessão de Santo António.