Aldeias Históricas de Portugal

Villages

Baptistérios

Idanha-a-Velha

Idanha-a-Velha

Leider ist der Eintrag nur auf Europäisches Portugiesisch und Amerikanisches Englisch verfügbar. For the sake of viewer convenience, the content is shown below in the default language of this site. Sie können einen Link anklicken, um zu einer anderen verfügbaren Sprache zu wechseln.

Em meados do século VI a velha cidade romana, sob o domínio suévico, doravante designada Egitânia, é elevada à dignidade episcopal, continuada com a anexação visigótica. Talvez pertença aquele remoto período a piscina batismal descoberta a norte da Igreja de Santa Maria. Antes, fora achada outra piscina batismal no extremo oposto da igreja. Este batistério – na Igreja primitiva, o termo era usado indistintamente para a piscina como para o edifício que a albergava – de tipologia mais complexa, cruciforme, é também mais recente, ainda que não datado com precisão. Porém, ambos são liturgicamente próximos e funcionalmente idênticos: uma pequena piscina com degraus, pelo lado poente fazia-se a entrada e após tríplice infusão – simbolizando o rito purificatório da imersão – saída pelo lado oposto. A investigação dos últimos anos concluiu que este batistério não tem conexão arquitetónica com o edifício que deu origem à Igreja de Santa Maria, tradicionalmente identificado com a catedral visigótica.